Dia de plantar

Hoje foi o grande dia de plantarmos juntos com os estudantes de Dakarí sementes de flores e sementes de árvores frutíferas. Todos nós estávamos bem contentes, pois além destas mudas esperamos ter plantando nos corações e mentes dos Dakarianos a importância de cuidarmos dos nossos planetas, da nossa mãe natureza, pois assim estamos cuidando de nós mesmos e das gerações futuras.

Fizemos uma bonita homenagem a todos do Planeta Dakaraí através dos nossos mestres que discursaram na escola, estamos todos animados com essa parceria entre os dois planetas, sabemos que nada se transforma de um dia para o outro, mas aos poucos, e a semente já plantamos, agora é regar e aguardar novos frutos.  Esperamos que o povo Dakarianos reconheçam a força que tem para lutarem junto por um planeta melhor, começando cuidando um do outro.

Amanhã é dia de voltarmos para Ubuntu e levamos conosco a esperança de termos feito o nosso melhor neste primeiro intercâmbio, voltaremos mais vezes, assim como nos visitarão mais vezes para trocarmos experiências e aprendermos cada vez mais.

Que o povo de Dakaraí perceba que somente com a união de todos o planeta pode ser um lugar melhor para se viver. Plantando a paz para todos. A juventude e a experiência dos idosos deve ser levado em conta quando pensamos em preservar um planeta, pois os idosos muito nos ensinam com sua experiência e as crianças muito têm a aprender para garantir paz às novas gerações.

Aloha!

Anaya Hanna.

Anúncios

Reunião

Já pudemos sentir que teremos muito trabalho aqui em Dakaraí. Notamos que as pessoas aqui precisam de ajuda, não entendem que suas atitudes estão destruindo o seu planeta, poluem rios, mares, ar, terra, contaminam os alimentos com agrotóxicos. Fizemos uma reunião com os alunos da escola de Anahí e contamos tudo que tínhamos observado e que eles poderiam ajudar a melhorar a vida de todos.

Existem pessoas aqui que tem muitas casas, muitas terras, e outras que não tem nada, moram nas ruas, ou em casas em locais de risco a vida, apesar de conversarmos com os alunos, muitos não demonstraram sentir algo por essas pessoas, alguns se mostraram surpresos, outros já sabiam do que estava acontecendo  e queriam ajudar.

Vamos procurar ajudar, pena que nem todos querem ser ajudados, eles acham que o problema é do outros e que não tem nada a ver com isso, estranhamos pois em Ubuntu, nos preocupamos com todos e o bem estar de um é o de todos. Esses Dakarianos são estranhos mesmos.

Hoje em nossa reunião pudemos dar algumas sugestões do que faríamos, como pensar no outro antes de tomarmos qualquer atitude que afeta a todos. Por exemplo se  continuarem a jogar lixo nas águas como poderão preservar a vida marinha? como poderão desfrutar de um gostoso banho no mar? Em todas as nossas ações devemos saber que vão gerar algo para todos, por isso devemos refletir sobre nossas ações.

Combinamos de realizarmos algumas palestras nas escolas próximas e também uma campanha para limpeza das praias próximas. Muitos participaram, outros não se entusiasmaram, mas não desistimos, continuamos nossas atividades em defesa da vida.

Na volta combinamos um dia de semear, amanhã iremos plantar sementes de flores nas praças e na escola plantaremos sementes de árvores frutíferas. Estamos esperançosos que mais pessoas se juntem a nós na defesa da vida, sabemos que não conseguiremos convencer a todos, mas cada pessoa que se convence de que sua atitude ajuda a preservar o planeta nos sentimos vitoriosos, pois é uma pessoa a menos para destruir.

Aloha!

Anaya Hanna

Dia da partida.

Hoje Anahi volta à Dakaraí, ela está bem animada, mas disse que já está com saudade de todos de Ubuntu.

Acordamos cedo para ajudá-la a fazer as malas, tomamos um gostoso lanche para poder acompanhá-la até a nave.

Anahi disse que aprendeu muita coisa conosco e que quando chegar a sua escola vai contar sobre tudo que aconteceu em Ubuntu e que vai nos esperar no próximo mês para nossa visita a sua casa.

Eu, Aliel, Lume, Pico, Tati, minhas irmãs e meus pais fomos nos despedir de Anahi. Tomara que seu povo possa reverter tudo que estão fazendo de prejudicial a saúde da mãe natureza e do planeta Dakaraí, porque assim vão beneficiar a si próprio.

Voltei para casa pensativa após a partida de Anahi, ela é uma garota especial que está querendo ajudar o seu povo, precisa da nossa ajuda e vou fazer todo o possível para ajudar nesta tarefa.

Tomara que um mês passe rapidinho para podermos nos ver, também estou curiosa para conhecer o Planeta Dakaraí, será que é tão bonito como Anahí vivia dizendo? será que as pessoas serão gentis conosco? são muitas perguntas que terão que aguardar respostas daqui um mês.

Meu avô sempre diz que uma amizade verdadeira é para sempre, independente de diferenças que possamos ter, o coração é quem tem a razão!

Aloha!

Anaya Hanna

Roda de Conversa – Intercâmbio de Anahí.

Hoje na escola foi dia de roda de conversa e o assunto da semana era a visita de Anahí. Nós já tínhamos perguntado muita coisa para ela sobre sua vida e os costumes do povo Dakariano, mas muitos colegas e nossos mestres queriam saber mais, pois o intercâmbio estava terminando e Anahi e os mestres teriam que fazer um relatório.

Anahi estava toda orgulhosa, apesar de tímida, para falar de seu povo, seus costumes.

Anahi nos contou sobre a beleza das matas, dos mares, do céu, dos animais, mas também falou da destruição, da falta de respeito com a mãe natureza, das dificuldades de parte da população, da fome, da falta de esperança, da falta de cuidado com as outras pessoas, com o planeta. Não compreendemos como a população queria estar bem se destroem sua própria casa, o Planeta.

Anahi nos contou que tem pessoas que lutam para preservar o planeta, para proteger os animais, os mares, as florestas, porém existem muitos outros que movidos pelo dinheiro não se importam de destruir, como se estivessem destruindo algo que não precisam. As pessoas pelo dinheiro e poder destroem a vida, e depois querem recuperar. Não parece ser algo muito inteligente de se fazer.

Ficamos comovidos e queremos ajudar Anahi, logo será nossa vez de visitar Dakaraí, quem sabe possamos ajudá-los. O intercâmbio tem essa finalidade de podermos nos ajudar mutuamente.

Anahi ficou muito feliz de poder falar sobre as dificuldades que enfrentam em seu planeta, mas também se sentiu orgulhosa de poder compartilhar um pouco da beleza do seu planeta, vimos algumas fotografias de rios, cachoeiras, oceanos, florestas, tudo muito lindo, quem sabe um dia os Dakarianos acordem e cuidem melhor deste presente que a natureza lhes deu.

Aloha!

Anaya Hanna

Escola

Hoje foi dia de Anahi conhecer nossa escola, ela ficou procurando um prédio e mostrou-se surpresa quando dissemos que nossa escola era ali mesmo, no meio da Floresta Azul, chegamos e já encontramos outros colegas e nossos mestres.

Em nossa escola aprendemos sobre muitas coisas, nossos mestres nos acompanham em diversas atividades e vamos aprendendo juntos

Anahi contou que sua escola funciona dentro de um prédio e que eles ficam em uma sala de aula e aprendem através de livros e atividades que os professores trazem. Aqui é diferente aprendemos junto a natureza- nossa mãe-  junto aos grandes anciões – nossos mestres em todas as áreas.

Iniciamos o dia com uma gostosa caminhada pela trilha das pedras rosas, no caminho fomos identificando os pássaros que nos seguiam, sua espécie, as cores , a quantidade, os alimentos com que eles se alimentam e sua contribuição para a mãe natureza. Chegando a aldeia azul fomos preparar o lanche, sempre com frutas e legumes da horta. Colhemos o que nós mesmos plantamos. Após o lanche fomos ao rio observar os peixes, em todas as nossas ações temos um mestre a nos explicar.

No final da manhã retornamos para casa e realizamos nossas tarefas, eu sou responsável pela horta da casa e Anahi é responsável pelos cuidados com as flores. No final do dia estávamos cansadas, mais muito felizes por mais um dia de aprendizado na colheita da vida.

Amanhã é dia de viagem espacial, espero por vocês nesta gostosa aventura.

Aloha!

Anaya Hanna