De volta a Ubuntu

 

Deixamos Dakaraí com muita esperança de que as pessoas comecem a olhar mais para o planeta como a casa deles e entendam que precisam preservar para garantir a vida.

Chegando em Ubuntu fomos recebidos por uma comissão de voluntários do governo e recebemos uma medalha de agradecimento por nosso trabalho em Dakaraí, um planeta distante do nosso, mas que agora passamos a cuidar também como co-irmão.

Hoje foi um dia de festa, pois pudemos sair de nosso planeta para ajudar outro planeta, ainda temos muito o que fazer em conjunto com nosso co-irmão, mas estamos contentes por terem aceitado ajuda e estamos esperançosos de que eles possam preservar o planeta e as vidas e regridam no processo de autodestruição.

Nosso planeta também já foi um planeta criança e precisou de muito tempo para que todos nós entendessêmos que o bem comum está acima dos individuais, que as riquezas do planeta são de todos e não apenas de alguns. Levamos séculos para entender princípios simples, perdemos tempo com guerras, desentendimentos, ganância, ilusão pelo poder; só depois de quase destruímos nosso planeta entendemos que precisávamos cuidar de todos para sobrevivermos.

Hoje somos um planeta que se preocupa não só com nosso povo, mas também com outros planetas e outros povos, pois entendemos que todos nós fazemos parte de uma força, uma luz suprema, que nosso brilho só tem sentido quando acompanhado do brilho do outro.

Aloha!

Anaya Hanna

Anúncios

Dia de plantar

Hoje foi o grande dia de plantarmos juntos com os estudantes de Dakarí sementes de flores e sementes de árvores frutíferas. Todos nós estávamos bem contentes, pois além destas mudas esperamos ter plantando nos corações e mentes dos Dakarianos a importância de cuidarmos dos nossos planetas, da nossa mãe natureza, pois assim estamos cuidando de nós mesmos e das gerações futuras.

Fizemos uma bonita homenagem a todos do Planeta Dakaraí através dos nossos mestres que discursaram na escola, estamos todos animados com essa parceria entre os dois planetas, sabemos que nada se transforma de um dia para o outro, mas aos poucos, e a semente já plantamos, agora é regar e aguardar novos frutos.  Esperamos que o povo Dakarianos reconheçam a força que tem para lutarem junto por um planeta melhor, começando cuidando um do outro.

Amanhã é dia de voltarmos para Ubuntu e levamos conosco a esperança de termos feito o nosso melhor neste primeiro intercâmbio, voltaremos mais vezes, assim como nos visitarão mais vezes para trocarmos experiências e aprendermos cada vez mais.

Que o povo de Dakaraí perceba que somente com a união de todos o planeta pode ser um lugar melhor para se viver. Plantando a paz para todos. A juventude e a experiência dos idosos deve ser levado em conta quando pensamos em preservar um planeta, pois os idosos muito nos ensinam com sua experiência e as crianças muito têm a aprender para garantir paz às novas gerações.

Aloha!

Anaya Hanna.

Reunião

Já pudemos sentir que teremos muito trabalho aqui em Dakaraí. Notamos que as pessoas aqui precisam de ajuda, não entendem que suas atitudes estão destruindo o seu planeta, poluem rios, mares, ar, terra, contaminam os alimentos com agrotóxicos. Fizemos uma reunião com os alunos da escola de Anahí e contamos tudo que tínhamos observado e que eles poderiam ajudar a melhorar a vida de todos.

Existem pessoas aqui que tem muitas casas, muitas terras, e outras que não tem nada, moram nas ruas, ou em casas em locais de risco a vida, apesar de conversarmos com os alunos, muitos não demonstraram sentir algo por essas pessoas, alguns se mostraram surpresos, outros já sabiam do que estava acontecendo  e queriam ajudar.

Vamos procurar ajudar, pena que nem todos querem ser ajudados, eles acham que o problema é do outros e que não tem nada a ver com isso, estranhamos pois em Ubuntu, nos preocupamos com todos e o bem estar de um é o de todos. Esses Dakarianos são estranhos mesmos.

Hoje em nossa reunião pudemos dar algumas sugestões do que faríamos, como pensar no outro antes de tomarmos qualquer atitude que afeta a todos. Por exemplo se  continuarem a jogar lixo nas águas como poderão preservar a vida marinha? como poderão desfrutar de um gostoso banho no mar? Em todas as nossas ações devemos saber que vão gerar algo para todos, por isso devemos refletir sobre nossas ações.

Combinamos de realizarmos algumas palestras nas escolas próximas e também uma campanha para limpeza das praias próximas. Muitos participaram, outros não se entusiasmaram, mas não desistimos, continuamos nossas atividades em defesa da vida.

Na volta combinamos um dia de semear, amanhã iremos plantar sementes de flores nas praças e na escola plantaremos sementes de árvores frutíferas. Estamos esperançosos que mais pessoas se juntem a nós na defesa da vida, sabemos que não conseguiremos convencer a todos, mas cada pessoa que se convence de que sua atitude ajuda a preservar o planeta nos sentimos vitoriosos, pois é uma pessoa a menos para destruir.

Aloha!

Anaya Hanna

Visita a cidade de Luken

Luken é a cidade luz de Dakaraí, muito movimentada, iluminada, barulhenta, super populada. A primeira vista parece uma constelação de estrelas de tanto que brilha, mas com o passar das horas o brilho intenso das luzes cansa nossa visão o barulho ensudersedor começa a afetar nossa capacidade de raciocíonio, fora o ar poluído que incomoda os olhos, nariz; bem dificil essa visita. Enquanto ao redor do Colégio era um pouco mais calmo devido a presença de muitas belas árvores, esse local da cidade é bem agitado. Passamos o dia visitando os principais locais e todos os lugares notavamos que as pessoas andam agitadas, parece que sempre estão perdendo algo.

Anahí junto com seus amigos nos guiaram por essa visita a cidade de Luken e notamos que eles já estão acostumados a toda agitação, agora entendemos porque Anahí não conseguia apreciar a beleza da natureza em Ubuntu, ela está tão blindada para tudo ao redor que ficar algum tempo contemplando algo pode ser realmente muito difícil.

Percorremos vários pontos da cidade, lojas, shoppings,restaurante; tudo isso é muito importante para observarmos como podemos ajudar Anahi e seu Planeta para a preservação dos bens naturais.

Durante todo o dia pudemos perceber o quanto eles disperdiçam utensílios, como copos, guardanapos, sacolas; tivemos a impressão que para eles tudo é lixo, tudo é descartado, tudo pode ser comprado de novo, e vivem nessa loucura.

Sentimos muito pela mãe natureza que aqui é esquecida, constroem pontes, ruas destruindo espaços verdes, árvores; matam as águas dos rios jogando coisas que acreditam que não servem mais.

Anahí nos explicou que as pessoas que dirigem o seu Planeta não estão comprometidas com o bem comum, isso é muito ruim e não ajuda nada o povo e seu planeta.

Teremos muito trabalho pela frente, mas não vamos desistir. Queremos que eles enxerguem os bens que existem no planeta e que eles precisam deles para viver por muitas gerações.

Dakaraí

Chegando em Dakaraí nossa preocupação foi de encontrar nossa amiga Anahí, estávamos todos com saudades dela.

Dakaraí é um planeta pequeno, coberto de construções, poucas áreas verdes, notamos que tem muita água, mas Anahí nos disse que grande parte das águas estão contaminadas pela poluição. Ficamos tristes, pois eles não têm noção do mal que estão fazendo a seu povo e ao planeta.

Vamos ficar em uma instalação no colégio de Anahí, como estão de férias vamos dormir nas salas de aula, e para isso trouxemos colchonetes, sacos de dormir, vai ser muito legal. Vamos ficar uma semana aprendendo e ajudando o povo de Dakaraí.

Hoje nossa missão é fazer o reconhecimento das proximidades do colégio e descansar. O Colégio é grande tem 3 andares, muitas janelas que permitem ver todo o terreno em volta, muitas árvores ficam próximas, mas depois nossa vista apenas enxerga construções: casas, prédios e ruas bem movimentadas por vários deslocadores, chamam aqui de carros, igual no Planeta Terra. Quem será que teve a ideia primeiro?

Olhando a nossa volta começamos a perceber porque as águas são poluídas, além do ar também, eles não cuidam direito do planeta. Os carros soltam fumaça, as pessoas jogam coisas nas ruas. Até agora o que vimos é muito ruim e teremos muito trabalho pela frente. Anahi se mostra envergonhada, mas sabemos que ela quer o melhor para todos e não é culpa dela se o planeta está nestas condições.

Fomos até um lugar para comer, aqui é tudo diferente mesmo! Não tínhamos muitas opções, eram lanches todos com aparência estranha, então resolvemos ir ao um lugar chamado de supermercado e compramos umas frutas e verduras para fazermos uma salada.

Vou contar para vocês uma coisa até as frutas e verduras que temos em Ubuntu tem gosto diferente dos plantam aqui. Mas como estamos aqui comemos para experimentar e para completar comemos também algumas coisas que trouxemos de Ubuntu, ainda bem que as mamães sempre preparam uma lanche gostoso para trazermos nas viagens.

Hoje o dia foi cansativo, mas estamos gostando da viagem, pois poderemos ajudar os Dakarianos, só espero que eles aceitem ajuda, pois Anahí nos disse que seu povo é bem teimoso.

Aloha!

Ananya Hanna

 

O Universo

 

Quando viajamos pelo espaço e contemplamos o Universo podemos ter uma pequena dimensão da vida,

Da vida que segue miúda em cada planeta,

Da vida que segue exuberante diante de nossos olhos.

Da grandeza e da pequenez das coisas,

da luz que se faz presente,

da imensidão obscura do buraco negro,

da sensação de embriaguez diante da beleza da perfeição do Universo,

do bater de asas de uma borboleta que nos encanta com suas cores e sua leveza,

o balançar das folhas que sabem sua importância em uma frondosa árvore,

as nuvens que cobrem o céu e nos faz imaginar um lugar calmo além dos nossos olhos

pássaros que cantam nos dizendo bom dia

abra seus olhos para a beleza de tudo ao seu redor para poder desfrutar da imensidão do mundo,

comece apreciando o seu universo interior!

Anaya Hanna

Viagem a Dakaraí

 

Depois da visita de intercâmbio de nossa amiga Anahí começamos a nos preparar para a visita ao seu Planeta, todos estamos ansiosos. Vamos eu, Tati, Pico, Lume,Aliel, Zuma e Tuti, dois mestres irão nos acompanhar nesta viagem, nós estamos chamando da expedição ao Planeta Dakaraí. Nossos mestres já conhecem, mas nós estamos indo pela primeira vez, já vimos fotos e imagens, mas nunca estivemos lá.

Para a viagem iremos utilizar a nave de exploração da escola, assim podemos analisar nos laboratórios as coletas que fizermos, bem como levar aos nossos amigos sementes que só existem aqui em Ubuntu para plantarem.

Estamos tão ansiosos que não estamos nem dormindo direito, nós falamos todos os dias com Anahi, ela agora faz parte da nossa turma e sempre queremos saber o que ela anda fazendo. Ela nos disse que quando chegou no seu planeta, seus amigos foram busca-la no centro espacial e que na escola todos ficaram curiosos em saber do nosso planeta, ela falou que durante uma semana ficou falando de nós e do nosso planeta, mas sempre tem alguém que ainda pergunta.

Hoje é o grande dia, malas arrumadas, despedidas feitas, meus pais ficaram super contentes, eles dizem que vou ser uma mega cientista, pois sou muito curiosa e inteligente. Vamos levar 3 horas Dakarianas para chegar, o que dá umas 2 horas daqui de Ubuntu. Isso porque vamos com velocidade reduzida, depois de muitos acidentes a dobra no tempo está sendo averiguada, pois sempre tem aqueles que não respeitam as regras. Se fosse com a dobra chegaríamos em 30 segundos. Tudo bem, vamos curtindo o espaço que é maravilhoso.

Amanhã chegaremos bem cedo a Dakaraí, já fizemos mil planos com Anahi, estamos todos muito contentes.

Aloha!

Anaya Hanna.

 

Dia da partida.

Hoje Anahi volta à Dakaraí, ela está bem animada, mas disse que já está com saudade de todos de Ubuntu.

Acordamos cedo para ajudá-la a fazer as malas, tomamos um gostoso lanche para poder acompanhá-la até a nave.

Anahi disse que aprendeu muita coisa conosco e que quando chegar a sua escola vai contar sobre tudo que aconteceu em Ubuntu e que vai nos esperar no próximo mês para nossa visita a sua casa.

Eu, Aliel, Lume, Pico, Tati, minhas irmãs e meus pais fomos nos despedir de Anahi. Tomara que seu povo possa reverter tudo que estão fazendo de prejudicial a saúde da mãe natureza e do planeta Dakaraí, porque assim vão beneficiar a si próprio.

Voltei para casa pensativa após a partida de Anahi, ela é uma garota especial que está querendo ajudar o seu povo, precisa da nossa ajuda e vou fazer todo o possível para ajudar nesta tarefa.

Tomara que um mês passe rapidinho para podermos nos ver, também estou curiosa para conhecer o Planeta Dakaraí, será que é tão bonito como Anahí vivia dizendo? será que as pessoas serão gentis conosco? são muitas perguntas que terão que aguardar respostas daqui um mês.

Meu avô sempre diz que uma amizade verdadeira é para sempre, independente de diferenças que possamos ter, o coração é quem tem a razão!

Aloha!

Anaya Hanna

Roda de Conversa – Intercâmbio de Anahí.

Hoje na escola foi dia de roda de conversa e o assunto da semana era a visita de Anahí. Nós já tínhamos perguntado muita coisa para ela sobre sua vida e os costumes do povo Dakariano, mas muitos colegas e nossos mestres queriam saber mais, pois o intercâmbio estava terminando e Anahi e os mestres teriam que fazer um relatório.

Anahi estava toda orgulhosa, apesar de tímida, para falar de seu povo, seus costumes.

Anahi nos contou sobre a beleza das matas, dos mares, do céu, dos animais, mas também falou da destruição, da falta de respeito com a mãe natureza, das dificuldades de parte da população, da fome, da falta de esperança, da falta de cuidado com as outras pessoas, com o planeta. Não compreendemos como a população queria estar bem se destroem sua própria casa, o Planeta.

Anahi nos contou que tem pessoas que lutam para preservar o planeta, para proteger os animais, os mares, as florestas, porém existem muitos outros que movidos pelo dinheiro não se importam de destruir, como se estivessem destruindo algo que não precisam. As pessoas pelo dinheiro e poder destroem a vida, e depois querem recuperar. Não parece ser algo muito inteligente de se fazer.

Ficamos comovidos e queremos ajudar Anahi, logo será nossa vez de visitar Dakaraí, quem sabe possamos ajudá-los. O intercâmbio tem essa finalidade de podermos nos ajudar mutuamente.

Anahi ficou muito feliz de poder falar sobre as dificuldades que enfrentam em seu planeta, mas também se sentiu orgulhosa de poder compartilhar um pouco da beleza do seu planeta, vimos algumas fotografias de rios, cachoeiras, oceanos, florestas, tudo muito lindo, quem sabe um dia os Dakarianos acordem e cuidem melhor deste presente que a natureza lhes deu.

Aloha!

Anaya Hanna

Turro – um sábio amigo!

Hoje foi dia de expedição, eu e meus amigos fomos visitar nosso amigo Turro, Anahi estava curiosa para conhecer esse nosso amigo forte e corajoso.

Nosso amigo mora distante de nossa vila, por isso preparamos um lanche especial para comer no caminho. Para chegar a casa de Turro precisamos atravessar o rio  Esmeralda onde existem muitas pedras escorregadias, e por isso devemos ter muito cuidado, porque se cairmos no rio vamos parar na cachoeira da madrugada, muito perigosa.

Anahi como Tati é muito medrosa e temos que ajudá-las, mesmo assim elas atravessam gritando. Lume e Pico atravessam pulando de um lado para o outro, qualquer dia caem no rio! Aliel é cuidadosa e atravessa bem devagar, assim como eu. Chegando do outro lado do rio temos que subir uma grande montanha para chegar a casa de Turro.

Turro é um grande e sábio vulcão, todos têm medo dele, mas ele só entra em erupção quando fica muito bravo, e já faz anos que ele não fica bravo.

Depois de duas horas de subida chegamos na casa de Turro, ele nos recebe com um belo e grande sorriso! Ficamos por horas colocando a conversa em dia, as novidades da escola, a visita de Anahí, a colheita de amoras. Turro adora amoras e trouxemos para ele uma cesta cheia de deliciosas amoras.

Enquanto estávamos distraídos com Turro não sentimos a aproximação de uma grande ameaça, um dragão amarelo que soltava labaredas pelas narinas. Ficamos muito assustados e corremos para nos proteger dentro do nosso amigo Turro. Lá fora o dragão continuava a soltar labaredas, incendiando o mato ao redor de Turro. Esse dragão não era do nosso Planeta, os nossos são azuis e não são raivosos assim. A única que não tinha medo era Anahi, ela comentou que no seu Planeta apareciam muitos dragões amarelos e que estão sempre atrás de ouro, que apesar de aparentarem ser perigosos têm medo da chuva, porque molhados perdem os seus poderes mágicos.

Depois de muito pensar, Pico deu uma ideia, para que pedirmos para as nuvens uma grande chuva. Fizemos isso e após alguns minutos começou a chover, o dragão molhado perdeu seu poder e saiu correndo. Depois do susto caímos na risada. Nossa foi um susto daqueles!

Nos despedimos de Turro e fomos para casa, amanhã teremos uma bela história para contar aos nossos amigos. Anahí parecia satisfeita e não via a hora de voltar para seu Planeta para poder contar tudo que estava acontecendo.

Hoje o dia foi de aventuras, aprendemos que por mais assustador que for algo, ele sempre terá um lado frágil, basta termos calma para encontrar a saída.

Aloha!

Anaya Hanna.